terça-feira, 30 de maio de 2017

ciranda que gira na minha cabeça

Como viver no mundo que está lá fora? Parece que viajei no tempo ou de algum lugar no espaço onde não é permitido voltar. Onde a infância nunca acaba, e a desordem é só um faz de conta que a juventude movimenta para viver. Tenho o escudo contra a lamina do monstro, que quer me jogar no esgoto da mentira. Minha salvação é a intensidade das palavras que preenchem a linha do meu pensamento e cantam a musica do meu querer, é a brincadeira de esconde esconde, onde a criança louca contou até cem. Não sei sair dessa ciranda que gira na minha cabeça, não sei parecer normal. Liger Pimenta

Sem comentários:

Enviar um comentário